quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

O Mausoléu de Mao Tse-Tung


Ontem fui conhecer um dos locais mais visitados de Beijing: O Mausoléu de Mao Tse-Tung, Maozhuxi Jinian Tang -毛主席纪念 (Salão e Memorial do Presidente Mao). O local abriga o corpo embalsamado do ex-presidente chinês, Máo Zédōng -泽东 – que faleceu no dia nove de setembro de 1976, aos 82 anos.

Em primeiro de outubro de 1949, Mao anunciou a fundação da República Popular da China, tornando-se seu primeiro presidente. Ele se autoproclamava o “Grande Timoneiro” e muitos chineses o consideram o salvador da nação, por uma série de mudanças que trouxe ao país durante seus quase trinta anos de governo.

Mas quem lê sobre a vida de Mao Tse-Tung acaba descobrindo que nem tudo relacionado a Mao são flores. Algumas de suas ideias quando postas em prática – como O Grande Salto Adiante e A Revolução Cultural – trouxeram a fome aos chineses - cerca de 70 milhões morreram - e grande parte do legado cultural do país foi destruído.

Quando pergunto a algum chinês sobre Máo Zédōng, percebo um certo constrangimento nas pessoas, que procuram desconversar. O chinês comum não gosta de falar sobre política e políticos, principalmente os seus. Mas é óbvio e claro que Máo Zédōng é uma figura idolatrada em toda a China. Uma das imagens associadas à Beijing é a enorme foto de Mao bem na entrada da Cidade Proibida.


A foto de Mao decora a entrada da Cidade Proibida, 
no muro do chamado Portão do Céu.
Foi ali do alto que no dia 1° de Outubro de 1949  Mao Tse-Tung
proclamou a República Popular da China.


Foto de Mao no dia 1° de outubro de 1949.


Nos mercados, qualquer que seja, é possível comprar uma variedade de artigos com a figura de Mao: camisas, bonés, livros, chaveiros, baralhos, esculturas – dos mais variados tamanhos – quadros, enfim, tudo que você puder imaginar de Mao Tse-Tung tem por aqui. Eu, por exemplo, tenho um mini exemplar do “Livro Vermelho de Mao”, uma espécie de bíblia dos seguidores do líder chinês durante a época da Revolução Cultural. Ganhamos de brinde num desses mercados. Ainda não parei pra ler, está em inglês, e contém as citações do líder chinês, divididas em 33 capítulos.

Meu livrinho vermelho.


O Mausoléu está na Praça da Paz Celestial, no local onde ficava um dos mais importantes portões da cidade, o Portão da China, Zhonghuamen. Em 1954 o portão foi demolido para a expansão da Praça. Sua visitação é limitada ao horário da manhã, de 8:00 às 12:00, de terça a domingo. Somente em duas ocasiões no ano é aberto na parte da tarde, de 14:00 às 16:00: nos dias nove de setembro e 26 de dezembro, respectivamente os dias em que Mao morreu e nasceu.


Imagem do antigo Zhonghuamen, onde atualmente
fica o Mausoléu de Mao Tse-Tung.
Essa é a face sul do portão, justamente a 
entrada para o interior da antiga cidade de Beijing.
Dá pra ver alguns telhados da Cidade Proibida ao fundo.


Entrada principal do Mausoléu de Mao, virada para o norte.
Nas laterais, dois monumentos iguais aos que
existem na parte dos fundos, virada para o sul.


Ontem, felizmente, a fila estava bem pequena e levamos uns 10 minutos para chegar até o salão onde está o corpo. A fila, nos dias de pico, dá inúmeras voltas na praça, numa cena impressionante. Acho que o frio está espantando as pessoas.

Antes de entrar no Mausoléu é preciso deixar a bolsa num locker, bem ao lado da praça. Pagamos 25RMB (cerca de R$8,00) para deixar nossas coisas lá. Fiquei imaginando quanto que o governo chinês arrecada somente com esses lockers. São dezenas de milhares de pessoas visitando semanalmente o local. Faça os cálculos de quanto eles ganham: uma fortuna!

A entrada no Mausoléu é gratuita. Entramos com nossos celulares e nossas carteiras com dinheiro – já que não é permitido deixar algumas coisas de valor nos lockers (somente a máquina fotográfica). Mas apesar dos celulares modernos possuírem câmeras potentes, ninguém ousa tirar uma foto do corpo do ex-presidente. Certamente vai em cana na hora!

Antes de subirmos para o Mausoléu, passamos por uma máquina de raio-x e mostramos celulares e carteiras. Algumas pessoas ainda são escaneadas com aparelhos portáteis.

O Mausoléu é dividido em três salões:

O primeiro é O Grande Salão Norte, onde fica a entrada do Mausoléu. Ao fundo uma enorme escultura - 3.45m de altura - em mármore branco de Mao, sentado, muito parecida com a estátua de Abraham Lincoln, no Memorial do ex-presidente americano, em Washington D.C. Atrás da estátua de Mao a pintura de uma paisagem com montanhas e nuvens chamada de “A Grande Pátria”, que tem 23.74m de largura e 6.6 m de altura.


Foto da estátua de Mao que peguei na internet.


Qualquer semelhança é mera coincidência, ou é mais
uma ideia que os chineses copiaram?
Afinal, a estátua de Lincoln - que tem 5.8m da cabeça aos pés -
é bem mais antiga: foi inaugurada em 1922.

  
Na entrada desse salão, em frente à estátua, há uma espécie de altar onde as pessoas – normalmente os chineses – depositam as flores amarelas que compram na entrada do Mausoléu.

Mais um pouco e sempre num silêncio profundo, de muito respeito, os visitantes são divididos em duas filas. Estamos a alguns passos do Memorial Hall, o segundo e mais importante salão, onde se encontra o corpo de Mao. Ao entrar nesse salão principal, as filas se separam: uma para a direita e outra para a esquerda, fazendo com que as pessoas tenham uma visão lateral do caixão, que possui uma tampa de cristal transparente e está dentro de uma pequena sala com paredes de vidro. Soldados em posição de sentido montam guarda dentro desta sala, bem perto do corpo. Como é proibido fotografar o local, procurei algumas fotos na internet, pra ilustrar aqui o blog.


Quando essa foto foi tirada ainda não havia as paredes de vidro
que atualmente cercam todo o esquife.


Como falei, Mao Tse Tung está dentro de um esquife com tampa de cristal. Quando ele morreu, os chineses tiveram que pedir ajuda ao Vietnã para produzir esse caixão especial. As técnicas de embalsamento também foram obtidas junto aos vietnamitas, que já tinham experiência no assunto, pois tinham embalsamado o corpo de Ho Chi Minh, revolucionário e estadista vietnamita, que também tem seu corpo exposto num mausoléu em Hanói.
  
Ao entrar no salão principal optei por ir pelo corredor da lateral à direita. Só que é tudo muito rápido. Acho que levei menos de 20 segundos ali. Alguns guardas ficam apressando os visitantes que não podem parar para ficar olhando com mais calma.

Dá pra perceber como Mao era grande – tinha cerca de 1.80m de altura. O tamanho do rosto dele é impressionante: uma cara arredondada, grande.  Uma luz amarelada incide sobre o rosto, que está com uma fisionomia bem serena. Os poucos cabelos da cabeça, nas laterais, são bem pretos. Mao está vestido com o tradicional uniforme chinês cinza, que eles chamam de Uniforme de Sun Yat Sen – outro líder chinês dos velhos tempos. O corpo de Mao está coberto por uma bandeira do Partido Comunista da China, até quase a altura do peito.


Nessa foto o cabelo dele está bem grisalho.
Alguns retoques devem ter sido feitos porque
atualmente os cabelos estão bem negros.
O corpo embalsamado está sempre sendo
"retocado" para uma boa conservação.


O terceiro e último salão, chamado de O Grande Salão Sul, é na verdade a saída do Mausoléu. Não passa de um pequeno hall que leva o visitante pela saída sul. Assim como na entrada principal do lado norte, a saída do lado sul possui dois monumentos nas laterais, um representando a Nova Democracia e outro O Período de Construção do Socialismo.


Lado sul do Mausoléu, onde fica a saída.
Nas laterais, os dois monumentos.


Um dos monumentos na saída do Mausoléu.



Ao sair do Mausoléu o visitante fica de frente para uma das laterais do Qianmen ou Zhengyangmen, o Portão da Frente, um dos ícones da Praça da Paz Celestial.


A face norte do Qianmen, que fica de frente para a face sul do Mausoléu.



Num segundo andar do Mausoléu há salas homenageando outros camaradas chineses como Zhou Enlai, Liu Shaoqi, Zhu De, Deng Xiaoping e Chen Yun. Não visitei essa parte que é aberta a grupos reservados. Vou me informar pra saber como visitar esse local. Assim aproveito pra dar outra espiadinha em Mao Tse-Tung, e tentar perceber se o corpo que está ali é mesmo o corpo embalsamado do ex-líder chinês, ou um boneco de cera, como muitos afirmam. Será que o pessoal da Madame Toussaud andou passando por aqui?


Curiosidades:

Máo Zédōng - 泽东 . Máo é o sobrenome de família e Zédōng o nome dele.  Aqui na China o primeiro nome é sempre o da família.

Mao nasceu no dia 26 de dezembro de 1893 e faleceu no dia 9 de setembro de 1976.

Dizem que ao longo de sua vida ele se relacionou com mais de três mil mulheres, entre as quatro esposas que teve e as inúmeras concubinas. Teve um total de 10 filhos.

A construção do Mausoléu na Praça da Paz Celestial começou em novembro de 1976 e em maio de 1977 ele foi aberto ao público.

O Mausoléu de Mao vai contra um dos últimos pedidos do ex-líder chinês, que queria ter seu corpo cremado.

O rosto de Mao Tse-Tung está em todas as cédulas do Yuan, ou Renminbi, a moeda da China.

Cédulas do Yuan ou Renminbi.


Em 1912 a China Imperial teve seu fim, com o nascimento da
República da China. Mas em 1949, com o fim da guerra civil chinesa, o Partido Comunista assumiu o controle do país e Mao proclamou, em 1° de outubro, a fundação da República Popular da China. Os membros do partido contrário, o Kuomintang, fugiram então para Taiwan que até hoje briga para ser um país independente, a República da China.

People's Republic of China (República Popular da China)
Zhōnghuá Rénmín Gònghéguó  中华人民共和国








2 comentários:

  1. Excelente post! Meus parabéns! Estava pesquisando sobre líderes embalsamados quando me deparei com essa matéria muito bem escrita e elucidativa. Continue escrevendo!

    ResponderExcluir
  2. estou indo para a China agora em outubro e queria muito visitar o Mausoléu de Mao, esse post esclareceu todas as minhas dúvidas obrigada!

    ResponderExcluir